09 novembro, 2006

Ensina-me como aprenderei a contar
As areias da praia
Sem as espalhar,
Como juntar as nuvens
Sem as esfarrapar,
Como nadar no rio sem me molhar.
Ensina-me a amar sem sofrer
A ter sem saber
A compartilhar e receber
A dar e perder.
Ensina-me a voar
A ter asas e as merecer,
A usar palavras
Sem as estragar,
E sobretudo
Ensina-me a ficar
Aqui a olhar
O vaivém das ondas do mar...



(autor desconhcido)

6 comentários:

Bandida disse...

basta ficares.



olha. vê.


vai.





abraço!
__________________________________

indigo des urtigues disse...

Como era bom sabermos tanta coisa...:)
Beijinho e bom fim de semana!

linhas tortas disse...

Lembrou-me Palomar de Italo Calvino.
Bom Domingo

ponto.sem.nó disse...

Dá-me a mão...

Anónimo disse...

Não tenho nada para ensinar, mas adorava aprender junto contigo...

Sir Lancelot

whitesatin disse...

Não sei se queria saber essas coisas todas...