20 agosto, 2007







“Por vezes o destino é como uma pequena tempestade de areia que não pára de mudar de direcção. Tu mudas de rumo, mas a tempestade de areia vai atrás de ti. Voltas a mudar de direcção, mas a tempestade persegue-te, seguindo no teu encalço. Isto acontece uma vez e outra, como uma espécie de dança maldita com a morte ao amanhecer. Porquê? Porque esta tempestade não é uma coisa que tenha surgido do nada, sem nada que ver contigo. Esta tempestade és tu. Algo que está dentro de ti. Por isso, só te resta deixares-te levar, mergulhar na tempestade, fechando os olhos e tapando os ouvidos para não deixar entrar a areia e, passo a passo, atravessá-la de uma ponta a outra. Aqui não há lugar para o sol nem para a lua; a orientação e a noção de tempo são coisas que não fazem sentido. Existe apenas areia branca e fina, como ossos pulverizados, a rodopiar em direcção ao céu. ”






(Foto retirada do google; Texto de Haruki Murakami, in Kafka à beira-mar)

6 comentários:

madrugada disse...

Muito bem!...

-GOSTEI.

delusions disse...

"Voltas a mudar de direcção, mas a tempestade persegue-te, seguindo no teu encalço. Isto acontece uma vez e outra, como uma espécie de dança maldita com a morte ao amanhecer. Porquê?"

Às vezes são as tempestades em/de nós que mais estragos causam...

Gostei muito do blog que andei a visitar.

Bjs*

Sofia

rita disse...

comecei a le ro livro ha pouco tempo, mas adorei este bocado logo no inicio..
bm blog :)

Entre os teus lábios disse...

madrugada: O livro tem passagens deveras interessante.
Bem-vindo/a.


delusions: Essas tempestades terão de ser resolvidas por nós...
Obrigada pela visita Sofia :)


rita: Ainda não terminei o livro, estou a saborear cada palavra, com tempo...
Agradeço a visita.

Wonder Woman disse...

gostei da amostra, apeteceu me beber todas as palavras seguintes.

Entre os teus lábios disse...

wonder woman: Para o fazeres basta comprar o livro. :P